Tag Archives: China

Xangai, China

22 dez

Xangai - Museu de Xangai

Xangai, por vezes também designada pela forma inglesa Shanghai, é a maior cidade da República Popular da China e uma das maiores áreas metropolitanas do mundo, com mais de 20 milhões de habitantes. A cidade é um destino turístico famoso por seus marcos históricos, como o Bund, o Templo da Cidade de Deus, o moderno e em constante expansão centro financeiro de Pudong, onde está localizada a famosa Torre Pérola Oriental, e por sua nova reputação como um centro cosmopolita da cultura e do design. Hoje, Xangai é o maior centro comercial e financeiro na China continental e tem sido descrita como o grande exemplo da pujança da economia chinesa.

Pontos de interesse

Torre Pérola do Oriente: é uma torre televisiva localizada no distrito de Pudong, ao lado do Rio Huangpu, do lado oposto do Bund. O desenho da construção foi baseado em um poema da Dinastia Tang sobre um som assombrador feito por um alaúde. A torre foi desenhada por Jia Huan Cheng, da Shanghai Modern Architectural Design Co. Ltd.. A construção começou em 1991 e foi completada em 1995. Com seus 468m de altura, é a torre mais alta da Ásia, e a terceira mais alta torre do mundo. A torre tem três andares de observação. O mais alto, chamado Space Module (Módulo Espacial), está a 350 m de altura. Os outros dois estão a 263 m (Sightseeing Floor – andar turístico) e a 90 m (Space City – cidade espacial). Há ainda um restaurante rotativo, a 267 m de altura. O projeto também inclui instalações de exibição, restaurantes e um shopping, além de um hotel de vinte quartos chamado O Hotel Espacial (The Space Hotel) entre as duas grandes esferas.

Bund: é uma área do Distrito de Huangpu, no centro de Xangai. A área é o núcleo de uma seção da Rodovia Zhongshan dentro do antigo Assentamento Internacional de Xangai, que corre ao longo da margem ocidental do rio Huangpu, de frente para Pudong, na parte oriental do Distrito de Huangpu. O Bund geralmente se refere aos edifícios e ao cais nesta seção da estrada, bem como algumas áreas adjacentes. É um dos destinos turísticos mais famosos em Xangai. A altura das construções é restrita nessa área.

Jin Mao Tower: é um arranha-céu, atualmente é o 11º arranha-céu mais alto do mundo, com 421 metros de altura. Edificado na cidade de Xangai, foi concluído em 1998 com 88 andares. Perdeu o título de mais alto de Xangai em 2007, quando a estrutura de 493 metros do Shanghai World Financial Center foi concluída.

Museu de Xangai: é o melhor museu na China. Os seus mais de 10 000 m² de exposição incluem o que é mais importante na arte da China dividida em 11 categorias: bronze, cerâmica, pintura, caligrafia, escultura, mobiliário, jade, selos, moedas, artes das minorias, cerâmica Zande Lou, bem como várias salas de exposições temporárias. As suas coleções de bronze, cerâmica e pintura são as mais proeminentes. Dividido em salas para escultura, bronze, cerâmica, pintura, caligrafia e arte das minorias étnicas no país, este museu mostra a riqueza da arte na China de uma forma inteligente e didática.

Quando visitar?

Os melhores meses para visitar Xangai são março, abril, maio, setembro, outubro e novembro.

Informações úteis

  • Moeda: Iuan (China), Pataca (Macau), Dólar de Hong Kong (Hong Kong)
  • Idioma: Mandarim
  • Fuso horário: +8 (UTC)
  • Visto: Brasileiros necessitam de visto de entrada.
  • Clima: O clima de Xangai é clima subtropical úmido e com quatro estações bem definidas. No inverno, os ventos frios do norte da Sibéria fazem com que as temperaturas noturnas sejam negativas, embora a maioria dos anos, há apenas um ou dois dias de neve. O verão em Xangai é muito quente e úmido, com chuvas ocasionais e trovoadas fracas.
  • Maiores informações: http://www.shanghai.gov.cn (em chinês)

Taipei, Taiwan

18 nov

Taipei - Taipei 101

Taipei é a capital de facto e maior cidade da República da China. Taipei é grande, movimentada, ultramoderna. Localizada ao norte da ilha de Taiwan, a metrópole de 3 milhões de habitantes é cortada por dois rios e rodeada por montanhas. Tem internet wi-fi em quase toda esquina, um sistema eficiente de metrô suspenso e linhas amplas de trem bala, mas também enfrenta problemas tópicos de cidade grande, como trânsito e poluição.

Pontos de interesse

Taipei 101: Com 508 metros de altura, o Taipei 101 é o prédio mais alto do mundo. Inaugurado em 2004, ele funciona como centro financeiro e comercial. O observatório fica no 89° andar e para chegar lá é preciso pegar um elevador que sobe a uma velocidade de 1.010 metros por minuto. Lá de cima, Taipei parece até maquete.

Templo de Confúcio: O templo dedicado ao filósofo chinês Confúcio é um dos mais visitados da cidade. Moradores, turistas e principalmente estudantes vão até lá pedir por sabedoria.

Museu de Belas Artes de Taipei: Toda produção artística recente do país está no Museu de Belas Artes de Taipei. A coleção reúne trabalhos dos séculos 19 e 20, de artistas locais e também alguns estrangeiros. Mas o forte do museu são as exposições temporárias, com acervos de outras instituições como o Centre George Pompidou, de Paris.

Quando visitar?

A melhor época para visitar Taipei é de outubro a janeiro, quando o tempo está confortavelmente fresco e claro. De abril a outubro é a estação das chuvas, com tufões ocasionais no verão. A cidade praticamente fecha por quase uma semana durante o Ano Novo chinês (que geralmente cai no final de janeiro ou no início de fevereiro).

Informações úteis

  • Moeda: Dólar Taiwanês
  • Idioma: Mandarim e inglês
  • Fuso horário: +8 (UTC)
  • Visto: Brasileiros necessitam de visto de entrada em Taiwan.
  • Clima: Taipei tem um clima subtropical úmido. A temperatura média anual é de 23°C, com temperaturas médias de 29°C no verão e 11°C no inverno.
  • Maiores informações: http://www.taipeitravel.net/en/ (em inglês)

Pequim, China

18 set

Pequim - Cidade Proibida

Pequim é a capital e a segunda maior cidade da República Popular da China. Pequim, cujo nome em mandarim significa “Capital do Norte”, foi durante séculos, a maior populosa cidade do mundo. Situada ao norte do país, Pequim é famosa pela Cidade Proibida, um conjunto de palácios dos imperadores chineses construído no século XV. A cidade foi capital do Império Chinês de 1421 a 1911. Em 1912, a capital foi transferida para Nanquim, e Pequim tomou o nome de “Beiping”  (literalmente “Paz do Norte”, em mandarim). Ocupada pelos japoneses entre 1937 e 1945, Pequim tornou-se a capital da República Popular da China em 1949, com a denominação atual.

Pontos de interesse

Cidade Proibida: foi o palácio imperial da China desde meados da Dinastia Ming até ao fim da Dinastia Qing. Fica localizada no centro da antiga cidade de Pequim, acolhendo atualmente o “Palácio Museu”. Durante quase cinco séculos serviu como residência do Imperador e do seu pessoal doméstico, sendo o centro cerimonial e político do governo chinês. O título de “Cidade Proibida” surgiu pelo facto de somente o imperador, sua família e empregados especiais tinham a permissão para entrar no conjunto de prédios do palácio. Qualquer outra pessoa que ousasse atravessar seus portões sem a devida autorização, era sujeita a uma execução sumária e dolorosa. No século XX, a Cidade Proibida sofreu uma transformação extraordinária. O século começou com o fim de uma dinastia e a expulsão do último imperador, Puyi. A sua queda em 1912 marcou o fim de séculos de imperialismo e 500 anos da Cidade Proibida como capital do Império Chinês. O palácio foi aberto como museu em 1925, mas sofreu com a ofensiva japonesa em 1931, quando cerca de 19 mil caixas contendo artefatos foram retiradas da Cidade Proibida. Os objetos voltaram a Pequim após a Segunda Guerra Mundial, mas o palácio estava totalmente degradado. O trabalho de recuperação começou em 1950. Notáveis e inesperadas descobertas ainda estão sendo feitas à medida que técnicas antigas são combinadas com a tecnologia moderna para restaurar um dos palácios mais magníficos da Terra. A Cidade Proibida foi declarada Patrimônio Mundial da Humanidade em 1987,estando listado pela UNESCO como a maior colecção de antigas estruturas de madeira preservadas no mundo.

Estádio Olímpico Nacional: O espetacular edifício da dupla suíça Herzog e Meuron foi construído para ser a principal arena para os Jogos Olímpicos de 2008. Sua estrutura externa lhe valeu o apelido de Ninho de Pássaro, mas o que ficou mesmo na lembrança dos espectadores foram as incríveis performances do jamaicano Usain Bolt nas finais (e semifinais e eliminatórias) dos 100 e 200 metros rasos. Isso sem esquecer do ouro de Maurren Maggi no salto em distância. Pouco utilizado para competições esportivas desde então, o estádio nacional serve hoje mais como um enorme monumento aos Jogos.

Praça da Paz Celestial: A principal área pública de Pequim ficou marcada para sempre pelas repressivas reações aos movimentos estudantis de 1989. No entanto, o que se vê hoje são famílias passeando entre sisudos soldados que guardam bandeiras vermelhas e o mausoléu do ‘Grande Timoneiro’. Lá, duas vezes ao dia, o corpo embalsamado de Mao Tsé-tung sobe da geladeira para ser reverenciado pelos turistas. Outros pontos de interesse são a bandeira nacional – onde cerimônias de hasteamento e arriamento ocorrem todos os dias, o Monumento aos Heróis (1958), em memória aos combatentes da Revolução Comunista, e os horrendos edifícios que flanqueam a praça, o Grande Hall do Povo (sede do parlamento de um partido só) e o Museu Nacional da China. Na ponta sul estão o Portão Qian e a Torre da Flecha, tudo o que sobrou da muralha que aqui passava. Já ao norte está o Portão da Paz Celestial, Tian Men, que dá acesso à Cidade Proibida e sobre o qual foi procalamda a República da China, em 1949. O retrato do camarada Mao está lá até hoje para revistar as tropas nas frequentes demonstrações de força do governo.

Templo do Céu: é um dos mais belos monumentos arquitetônicos da cidade e é listado como patrimônio da humanidade pela Unesco. Inserido dentro de um amplo e agradável parque urbano, a principal atração é o templo circular, utilizado para orações do imperador para boas colheitas. Seus elegante telhado triplo e riquíssima decoração o tornam um dos mais belos edifícios de toda a China. Construído originalmente no século 15 e reconstruído em 1889, não foi utilizado nenhum prego ou parafuso em sua edificação, apenas bem elaborados encaixes em um arranjo que representa as estações do ano, os meses e 12 divisões tradicionais do dia. A localização do templo sobre uma plataforma tríplice de mármore dão ao conjunto uma atmosfera ainda mais cerimonial.

Muralhas da China: ficam próximas de Pequim. Há 3 principais locais de visitação. Badaling, por ser a mais próxima da cidade, é a mais visitada (e também a mais cheia). Mutianyu também é bem visitada. Para aquele que preferirem ver a parte das Muralhas que não foi restaurada, Simatai é a melhor opção. Lá, por ser menos visitada, é ideal para tirar excelentes fotos sem pedir licença a milhares de turistas.

Quando visitar?

A melhor época para visitar Pequim é durante a primavera (de março a maio) ou o outono (de setembro a novembro), quando as temperaturas são amenas. O inverno pode ser bastante rigoroso e é comum nevar. No verão, as temperaturas batem na casa dos 30 ºC frequentemente. Evite o Sul da China de abril a setembro, época de monções.

Informações úteis

  • Moeda: Iuan
  • Idioma: Mandarim
  • Fuso horário: +8 (UTC)
  • Visto: Brasileiros necessitam de visto de entrada na China.
  • Clima: O clima de Pequim é continental. O tempo é praticamente seco em quase todo o ano, mas no verão as monções causam muita chuva. Os invernos são muito frios, registrando temperaturas máximas abaixo de 0 °C nos dias mais frios, mas neva pouco devido à seca, causada pela alta pressão do ar vinda da Sibéria. Os verões são quentes, as temperaturas ficam acima dos 30 °C em vários dias da estação. O outono e a primavera são estações de transição entre o frio e o calor e, assim como o inverno, são estações secas.
  • Maiores informações: http://www.ebeijing.gov.cn/ (em inglês)

Hong Kong, China

31 maio

Hong Kong - Templo dos Dez Mil Budas

Hong Kong é uma Região Administrativa Especial da China, localizada no sudeste do país. Uma fascinante metrópole cosmopolita, com 7 milhões de habitantes e 1,1 mil km² de área, que combina a cultura oriental com a ocidental. É o principal centro comercial da China e possui uma economia de livre mercado, baixos impostos e mínima intervenção do governo central, seguindo a filosofia de “um país, dois sistemas”.

Pontos de interesse

Templo dos Dez Mil Budas: No alto de uma colina, no município Novos Territórios de Sha Tin, o Templo dos Dez Mil Budas é um dos locais mais sagrados em Hong Kong. Durante o percurso, há inúmeras imagens de Buda, de todas as formas e tamanhos. Vale o esforço dos mais de 400 degraus. No topo da colina você encontra um lindo pagode e um templo com mais de 13.000 pequenas imagens de Buda revestindo a parede.

Museu de Ciências de Hong Kong: Esse completo museu, localizado em frente Museum of History, pode ser considerado o parque de diversões dos amantes das curiosidades científicas. Os três andares do local abrigam mais de 500 exibições (quase todas interativas) voltadas para áreas como matemática, telecomunicações, transporte e movimento. Um dos destaques é a Máquina de Energia, uma torre de22 metros de altura que ocupa os 4 andares do museu e que demonstra ao visitante a relação entre energia e movimento. A atração é considerada a maior do gênero em todo o mundo.

Pico Victoria: o pico tem 554 metros de altura e é o ponto mais elevado da ilha. Ali é um dos locais com a melhor vista noturna de Hong Kong.

Observatório do Bank of China: Esse edifício com mais de 360 metros de altura e 70 andares era considerado o mais alto de Hong Kong, em sua inauguração em 1990. Sua estrutura mistura traços arquitetônicos modernos e tradicionais chineses, como a geometria assimétrica de sua estrutura inspirada no formato de um bambu. O 43º andar possui um observatório público que oferece visão panorâmica de Hong Kong.

Wong Tai Sin: Esse templo taoista é considerado o maior de Hong Kong e um dos mais concorridos, tanto entre fiéis como visitantes estrangeiros. Localizado em uma área de 18 mil m², esse templo de Kowloon é uma homenagem ao monge Wong Tai Sin nascida em 328 e que, anos mais tarde, se tornaria uma divindade chinesa. Independente de sua crença, não deixe de comprar os tradicionais incensos para fazer um pedido. Segundo a tradição, deve-se acender três em representação aos três mundos: Universo, Humanidade e Terra.

Hong Kong Disneyland: Essa é uma das atrações turísticas mais visitadas de Hong Kong e atrai visitantes de todas as partes do mundo, seguindo a tendência dos parques americanos com a marca Disney. Aberto em 2006, o local já recebeu mais de 25 milhões de pessoas. O passeio começa já no metrô que dá acesso ao parque, cujos vagões possuem janelas e alças de apoio para as mãos no formato das orelhas do Mickey. A partir da estação que leva o nome do parque, o visitante conta com três áreas temáticas: Adventureland, com atrações baseadas em animações como Tarzan e Rei Leão; Tomorrowland, com brinquedos mais radicais, como uma montanha-russa indoor que simula uma viagem pelo espaço; e a Fantasyland com clássicos como o Castelo da Bela Adormecida, o Carrossel da Cinderela e a Xícara Maluca.

Quando visitar?

A melhor época para visitar Hong Kong é durante o outono, entre setembro e novembro, quando os dias são de sol e com temperaturas mais agradáveis.

Informações úteis

  • Moeda: Dólar de Hong Kong
  • Idioma: Chinês
  • Fuso horário: +8 (UTC)
  • Visto: Brasileiros estão isentos de obtenção prévia de visto para Hong Kong, desde que a permanência seja de até 90 dias.
  • Clima: O clima predominante em Hong Kong é o clima subtropical com quentes e chuvosos verões e frios invernos. A média de temperatura é de 17ºC em janeiro e de 29ºC em julho.
  • Maiores informações: http://www.discoverhongkong.com/ (em inglês)
%d blogueiros gostam disto: