Machu Picchu, Peru

22 jul

Machu Picchu - Vista do Intipunku

Machu Picchu é uma ruína inca localizada na Cordilheira dos Andes, no Peru e um dos destinos mais populares entre os viajantes independentes na América do Sul.  Fica a aproximadamente 150 km de Cuzco no Peru. As ruínas ficam em uma montanha a 2500 metros de altura acima do nível do mar e recebem a visita de aproximadamente 500 mil turistas por ano. A porta de entrada para Machu Picchu é a cidadezinha de Águas Calientes, cujo nome oficial pouco usado internacionalmente é Machu Picchu Pueblo, ponto final da linha de trem turística, e onde ficam quase todos os hotéis e restaurantes.

Pontos de interesse

Setor nobre: Esta porta dá acesso ao setor nobre da cidade, onde se encontram as residências dos governantes. Ali está o chamado Palácio do Inca, ou Casa Real, um amplo espaço residencial que servia de refúgio para o soberano. Nota-se nesse setor a precisão e o cuidado com que paredes e muros foram lavrados. Originalmente, as construções eram cobertas com telhados de palha.

Intipunku: em quéchua, significa Porta do Sol. Depois de três dias de caminhada na Trilha Inca, é deste ponto que os turistas vislumbram Machu Picchu pela primeira vez. Eles procuram chegar à Porta do Sol com a alvorada. Pouco a pouco a cidadela de pedra vai ficando dourada com os primeiros raios de sol. Um espetáculo diário. É um passeio bastante agradável para observar a rica fauna e flora da região, especialmente no que diz respeito a orquídeas (372 tipos cadastrados) e borboletas (200 espécies). Além de uma vista encantadora, na volta você poderá adentrar a cidadela por sua porta principal, única entrada que dava acesso a Machu Picchu no período inca.

Escadaria das Fontes: Os incas canalizaram um manancial oriundo dos lençóis freáticos de dentro da montanha para abastecer Machu Picchu. Da saída de água original, criaram outras 16 fontes artificiais orientadas em diferentes direções, de modo a contemplar toda cidade. As áreas nobres recebiam fluxo contínuo de água e possuíam canais privativos de deságue.

Intihuatana: é o relógio solar ou “lugar onde se amarra o sol”, na língua quéchua. Está situado no ponto mais alto de Machu Picchu e encabeça o setor sagrado. Delicadamente esculpida, a peça se alinha aos pontos cardeais e era utilizada para registrar a passagem do tempo, além de auxiliar nos ciclos de agricultura. Turistas costumam estender as mãos por cima do monólito, que não pode ser tocado, para captar a suposta energia que dele emana.

Ponte Inca: situada num vertiginoso ponto de acesso a Machu Picchu, é um passeio bem tranquilo, talvez o que registre o menor fluxo de turistas no local, e oferece como recompensa uma vista emocionante do desfiladeiro com o Rio Urubamba serpenteando ao fundo.

Quando visitar?

Para visitar Machu Picchu o ideal é planejar a viagem para abril, maio, junho, setembro e outubro. Nos demais meses chove ou tem turista demais.

Informações úteis

  • Moeda: Novo Sol
  • Idioma: Espanhol
  • Fuso horário: -5 (UTC)
  • Visto: Brasileiros estão isentos de visto à turismo ou negócios para permanência de até 90 dias.
  • Clima: A estação chuvosa vai de dezembro a março/abril. Os demais meses são mais secos, normalmente fazendo uma temperatura agradável durante o dia e frio à noite (a temperatura pode baixar a 0 graus em junho/julho).
  • Maiores informações: http://machupicchu.pe/ (em espanhol)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: